sábado, 18 de novembro de 2017

Vinhos da Beira Interior

“O presidente da Comissão Vitivinícola Regional da Beira Interior, João Carvalho, faz projecções de longo prazo que apontam para volumes de negócios na ordem dos 400 a 500 milhões de euros por ano da região demarcada. O Solar dos Vinhos, que será sede da comissão e centro de toda a actividade de certificação e promoção, deverá abrir até ao final do corrente ano no espaço anexo ao edifício Teles de Vasconcelos, conhecido como "Quintal Medroso".
Não consegui saber qual é o volume de negócios actualmente para comparar o presente e o com futuro.
A nível nacional aqui ficam alguns dados do INE sobre o vinho referentes ao País em 2015
Exportações de vinho 739 milhões de euros, 1,5% das exportações Portuguesas
Importações de vinho 120 milhões de euros, 2% das importações Portuguesas
As importações de vinho de Espanha (71% do total) foi de 0,41 Euros, preço médio
Na produção mundial de vinho Portugal ocupa o 11º lugar com 6 milhões de hectolitros

quinta-feira, 16 de novembro de 2017

Muito que fazer em Gouveia

Gouveia é um Concelho que tinha 16 122 habitantes no ano de 2001, tinha 14 046 habitantes em 2011 e em 2015 já só tinha 13 114.
Com eta fuga de gente, que aconteceu nos gloriosos 12 anos anteriores e que se continua a verificar, há muito trabalho a fazer e muito a investir para atrair nova gente.
Para atingir este objectivo o Presidente da Câmara de Gouveia chegou à conclusão que deveria ser a Câmara a dar o exemplo na fixação de pessoas
Para isso a primeira medida que tomou foi aumentar a sua equipa na vereação. Assim além do Presidente terá mais 4 Vereadores a tempo inteiro.
Assim será mais fácil cada vereador conhecer bem o território já que terá 4 anos para falar e ouvir os 2 mil Munícipes que lhe vão calhar na distribuição que será feita,
Não acreditem no que escrevi, estou só a brincar.

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Dia da Cidade

O programa oficial das comemorações do dia da cidade já foi divulgado.
Além do que já tinha sido divulgado noutros programas destacam-se:
1 – Inauguração da Requalificação do Parque da Cidade
2 – Prova “enigmática” “Invernal BTT cidade da Guarda”
3 - Este ano a Câmara da Guarda não tem personalidades da Guarda para distinguir.

terça-feira, 14 de novembro de 2017

O ecrã do Chefe

O grande ecrã do Chef na Fan zone, deu o berro.
Está mudo, calado e negro há já uns dias, ou semanas, talvez.
Talvez desde a tomada de posse, talvez desde as últimas chuvas, talvez devido ao frio.
Seja qual a razão, os “clientes” do município agradecem este interregno.
A despropósito: Consta-se que o Presidente da Câmara já anunciou a preparação da candidatura da Guarda a Cidade Europeia  da Cultura. Será que vai entregar o "dossier" a um gabinete tipo chave na mão? 

domingo, 12 de novembro de 2017

O IPG e os novos alunos

Não sei se é propaganda se é informação o que nos dizem é que o número de alunos inscritos no IPG – Instituto Politécnico da Guarda é o maior dos últimos anos. Dizem-nos que é o fruto da nova atratividade da Guarda, económica, social e política.
Fui à procura dos números do ano lectivo 2017/2018 e não os encontrei.
Encontrei os números desde o ano de 2007/2008 até 2016/2017 na página oficial do Instituto e o que encontrei contraria esta euforia.
Eu gostaria que o IPG voltasse aos anos de glória do passado, os números que são publicados não mostram essa tendência.

sábado, 11 de novembro de 2017

Movimento pelo interior e em nome da coesão

Foi criado o “Movimento pelo interior e em nome da coesão” por sete personalidades que levaram ao Presidente da República as sua preocupações.
Os jornais escritos e falados da Guarda de imediato elevaram o Presidente da Câmara da Guarda a coordenador do grupo.
Como tinha lido em alguns jornais nacionais que aquele apenas era porta-vos, fui pesquisar o que disseram outros jornais nacionais e regionais.
Ninguém escreveu quem era o coordenador e por isso não percebo quem deu mais esta presidência ao Presidente da Guarda.
Sobre o tema, deixo o que escreveu Rui Santos, presidente da Câmara de Vila Real e um dos proponentes.
Rui Santos· domingo, 5 de novembro de 2017
De acordo com projeções do Instituto Nacional de Estatística, a população residente em Portugal tenderá a diminuir até 2080, passando dos atuais 10,3 para 7,5 milhões de habitantes, ficando abaixo do limiar dos 10 milhões em 2031. Segundo dados do Banco Mundial, em termos relativos, só em 2014, Portugal registou a quinta maior perda populacional do mundo. Acresce a esta preocupação o facto de, segundo o I NE, 50% da população se concentrar em 33 municípios da faixa litoral, que representam apenas cerca de 11 % do total dos municípios portugueses.
Perante um país em que as disparidades e os desequilíbrios territoriais são cada vez mais gritantes, torna-se imperiosa uma atitude firme contra a decadência absoluta das políticas públicas em vigor.
O cenário atual dita, não só uma desmesurada concentração de pessoas (a densidade populacional em territórios urbanos é 19 vezes superior à verificada em áreas rurais), mas também de recursos e de serviços.
Uma economia de aglomeração que restringe um desempenho mais descentralizador da política nacional e que tem conduzido ao facto de, praticamente em todas as regiões do país, à exceção de Lisboa, a riqueza média por habitante ficar abaixo da média da UE. A pergunta impõe-se:
A continuar assim, o que será do Interior de Portugal daqui a 20 anos?
Os diagnósticos estão feitos e não podemos perder mais tempo. Impõe-se uma nova forma de lutar e de combater as injustiças económicas e sociais.
É esse o principal objetivo destas sete personalidades, ao solicitarem o alto patrocínio a Sua Excelência o Senhor Presidente da República para a criação de um Movimento pelo Interior - em nome da coesão.
Pretende-se que venha a ser um Movimento que, após a sua institucionalização, seja naturalmente aberto a todas as personalidades e instituições que queiram aderir para que se defina, em concreto e bem faseado no tempo, um pequeno conjunto de medidas de políticas públicas e que, num prazo de 12 anos (3 legislaturas), seja clara a reversão da situação que hoje se vive nos territórios do Interior.
Será criado um Observatório que colabore na monitorização das políticas públicas, particularmente orientadas neste sentido, para além das propostas concretas das referidas novas medidas.
Serão depois realizados cinco debates regionais e um grande debate nacional em Lisboa.
Lutar pelo Interior é uma causa nacional!
PROPONENTES:
Álvaro Amaro, Presidente da Câmara Municipal da Guarda e Presidente dos Autarcas Social Democratas
Rui Santos, Presidente da Câmara Municipal de Vila Real e Presidente dos Autarcas Socialistas
António Fontaínhas Fernandes, Reitor da UTAD e Presidente do Conselho de Reitores das Universidades Portuguesas
Nuno Mangas, Presidente do I. P. Leiria e Presidente do Conselho Coordenador dos Institutos Politécnicos de Portugal
Fernando Nunes, Empresário e Presidente do Grupo Visabeira
Rui Nabeiro, Empresário e Fundador do Grupo Delta
José Silva Peneda, ex-Presidente do Conselho Económico e Social
E agora eu:
Tendo já lido alguns artigos de opinião sobre o tema, nomeadamente pelo Reitor da UTAD, terá o Presidente da Guarda escrito algo ou mantém o seu estilo de discurso redondo à volta da nada?

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

A integração conveniente

Caros caloiros, agora que já têm uns dias de cidade, já a passearam e fruíram, os vossos colegas mais velhos já vos apresentaram à sociedade é conveniente conhecer a cidade menos conhecida e que é importante conhecer.
Toca a vestir os coletes amarelos e pernas ao caminho
Estamos no bacalhau e como estão a ver é pertinho do instituto. Ali à frente junto ao divino está a CVP que pode dar jeito.
 Lá em cima junto ao cruzamento das garrafas e dos encontros está a junta. Perto da catedral e da garrida temos a sé. Lá ao fundo da rua junta à pizza temos a biblioteca e logo a seguir antes do caçador temos o teatro.
Mais à frente está o muro grande ponto de encontro da noite be em frente está a polícia, nada de brincadeiras.
Contornado o quarteirão deparamos com a segurança social mesmo em frente da tasca e logo a seguir, ante dos zés da praça e dos ossos está a câmara.
Descendo encontramos a central dos autocarros e a praça onde não há muito por onde nos orientar.
Voltando à cidade o que é que há de interesse que vocês não conheçam? Nada. Já entrámos em todos os lados.
Bom trabalho gente. Vamos para a festa enquanto é tempo. E não se esqueçam que quero o penico cheio.